25 de julho de 2016

Período Carbonífero


O Carbonífero é o período do tempo geológico compreendido entre cerca de 359 e 299 milhões de anos atrás. Dentro da era Paleozoica, sucede o período Devoniano e precede o Permiano. É subdividido em duas épocas: Mississippiano e Pensilvaniano, de acordo com os estratos rochosos encontrados na América do Norte.

Tabela do tempo geológico em escala
© Mundo Pré-Histórico

No início do Carbonífero, um aumento no nível dos oceanos alagou muitas terras baixas, criando mares litorâneos rasos. Porém, esse efeito se reverteu em meados do período, há cerca de 323 milhões de anos. A mudança no nível do mar causou considerável extinção da fauna marinha, principalmente entre crinoides (lírios-do-mar) e amonites. Gondwana, o supercontinente do hemisfério Sul, passou a sofrer uma forte glaciação, coberto por uma espessa camada de gelo, enquanto as regiões equatoriais mantinham-se com um clima quente e úmido o suficiente para o desenvolvimento de pântanos e florestas exuberantes. Ao longo do período, as massas de terra de todo o planeta se uniram para formar Pangeia, o continente único que resistiu até a era seguinte. Montanhas erguiam-se conforme os continentes colidiam.

Visão global da Terra no Carbonífero
© Dr. Ronald Blakey e Colorado Plateau Geosystems, Inc.

(Com modificações)

14 de julho de 2016

Megaloceros - o cervo gigante

Arte por Charles R. Knight
© Museu de Arte da Universidade de Princeton

Megaloceros (do grego "grande chifre") é um gênero extinto de cervo que viveu em toda a Eurásia, no Pleistoceno e início do Holoceno. Seu tamanho variava muito de acordo com a espécie, as menores medindo cerca de 1 m de altura nos ombros. No entanto, a maior delas, Megaloceros giganteus, popularmente chamada "alce-irlandês" ou "cervo-gigante", chegava a 2 m na cernelha e 600 kg. Seus chifres, que alcançavam até 3,5 m de ponta a ponta, pesavam cerca de 40 kg.

7 de junho de 2016

Ornitópodes (Ornithopoda)

Parasaurolophus, Lambeosaurus e Corythosaurus
© John Sibbick

Ornitópodes (subordem Ornithopoda) são um grupo de dinossauros ornitísquios que começaram como pequenos corredores bípedes e culminaram como um dos grupos de herbívoros mais bem sucedidos do Cretáceo, espalhando-se por todos os continentes. Não possuíam dentes na extremidade da maxila superior, mas um bico córneo, e contavam com uma cauda rígida que ajudava a balancear o corpo enquanto corriam. Muitos possuíam cristas elaboradas e formosas.

19 de maio de 2016

Ginkgo - um remédio muito antigo

Você já deve ter ouvido falar do Ginkgo biloba, uma planta presente na composição de muitos medicamentos por aí. Mas sabia que, talvez por causa de suas propriedades "milagrosas", o ginkgo existe desde muito antes dos dinossauros? Não à toa, é chamado de "fóssil vivo".

Ginkgo biloba em Tours, França

Ginkgo (do japonês, "damasco prateado") é um gênero de planta gimnosperma (que não produz frutos) surgido há 270 milhões de anos, no período Permiano. Quase todas as espécies exinguiram-se no final do Plioceno, à exceção de uma: Ginkgo biloba, nativa da China, que existe até hoje e é cultivada no mundo todo. É uma árvore de grande porte, com uma média de 20 a 35 m de altura, embora alguns espécimes cheguem aos 50 m.

19 de abril de 2016

Plesiossauro

© Jonathan Kuo

O plesiossauro ("semelhante a lagarto") é um extinto réptil sauropterígio encontrado na Inglaterra, mas que deve ter vagado por vastos mares no início do Jurássico, entre 200 e 175 milhões de anos atrás. De tamanho moderado em relação a seus parentes, media cerca de 3,5 m de comprimento e pesava 450 kg.